El Calafate – Onde Comer?

Opções de restaurantes é o que não faltam na cidade. A maioria das casas estão concentradas na Avenida Libertador General San Martín e arredores. Cafés, bares e lanchonetes ficam na mesma área.

Casimiro Biguá – Parrilla & Asador
Casablanca Pizza-Restaurant
Restaurante Barlovento – Hotel Alto Calafate

Há muitos restaurantes com especialidades italianas, como pizzas e massas, ótimos para aqueles que precisam de bastante energia para aguentar o tranco das caminhadas e atividades ao ar livre porém, o prato mais procurado e onipresente em boa parte dos estabelecimentos é o cordeiro assado em fogo de chão, uma iguaria local característica por sua carne mais firme e macia, com menos gordura e de sabor mais suave do que os cordeiros de outras regiões. Peça como entrada algumas empanadas, complemente tudo com um vinho argentino e arremate a refeição com uma sobremesa a base de doce de leite. Não deixe de provar, também, a truta, e ossorvete e geleia de calafate, fruta da região, também vendidos nas lojas de souvenir do centro da cidade.

Casimiro Biguá - Parrilla & Asador
Casimiro Biguá - Parrilla & Asador
Casablanca Pizza-Restaurant
Casablanca Pizza-Restaurant
Casablanca Pizza-Restaurant
Restaurante La Esquina
La Lechuza Pizzas y Pastas
La Lechuza Pizzas y Pastas
Restaurante La Lechuzita
Casablanca Pizza-Restaurant
La Toldería Resto Bar

 

Além dos pratos típicos da região, como sugestão, vale saborear os pratos típicos do país. Como boa cidade interiorana argentina, os maiores destaques são as casas especializadas em carne, mais precisamente na inconfundível parrilla argentina, que são assados feitos na grelha onde estão incluídos também, além dos bifes, chorizos e outros miúdos do boi. Outro prato muito consumidos na argentina são as empanadas, compostas por pastéis assados de massa bem leve e recheados principalmente com queijo, cebola caramelizada e, é claro, carne. Além destes, há: as medialunas, que são parecidas com croissants, porém com textura e sabor diferentes, podem ser de manteca (manteiga) ou grasa (banha) e recheadas; choripan que consiste em um pão recheado com chorizo (linguiça apimentada) que pode acompanhar queijo ou vinagrete; e, mais que uma comida típica, a sobremesa mais famosa da Argentina: o dulce de leche, existem variados tipos, texturas e sabores de dulce de leche e, graças a sua qualidade, é um dos produtos gastronômicos mais exportados do país.

 


Cordeiro Assado: O prato principal e típico da região é o cordeiro assado. Sua carne é extremamente macia, graças ao clima seco e principalmente por sua criação pastando solto pela vasta estepe patagônica. Devido ao baixo índice de colesterol no animal, sua carne pussui de baixos teores de gordura intramuscular, tornando-a tenra e extremamente saborosa. O cordeiro, inteiro e aberto, é temperado com sal grosso e assado lentamente em espetos fincados no chão, sobre a brasa de lenha, e pincelado periodicamente com uma mistura de manteiga, suco de limão e vinho até ficar no ponto.

Parrilla: Reconhecido internacionalmente, a Parrilla Argentina constitui em cortes de carnes sobre grelhas móveis assadas apenas com as brasas ainda incandescentes, resultando em uma carne firme, suculenta, macia e bem temperada. São compostos pelos seguintes tipos de carne de boi: asado de tira (costela), vacío (fraldinha), chorizos (linguiça), chinchulines (intestino do boi), molleja e morcilla (morcela), além de incorporar alguns miúdos de boi conhecidos como achuras (vísceras). Algumas variações podem acompanhar também frango, porco, provoleta (rodela de queijo provolone cortada grossa e assada na grelha, mas sem desmanchar) e pimentões inteiros assados. A parrillada é uma seleção de diferentes tipos de carne assada na grelha servido sobre a mesa num braseiro ou fogareiro de quatro pés com fogo por baixo para manter tudo bem quente.

Choripán: Popular sanduíche argentino, consiste em duas fatias de pão, entre as quais é colocada um chorizo. A linguiça é assada na churrasqueira e bem dourada. O chorizo é elaborado com cerca de 70% de carne bovina e 30% de carne de porco, podendo ser condimentado com noz moscada, pimento doce, cravo e canela. O adereço principal é o chimichurri.

Empanada: É um tipo de pastel assado feito com massa de farinha de trigo. Originalmente, recheadas de carne bem temperada e picante, guarnecida de outros ingredientes que fazem a receita mudar de região para região. A cebola é presença obrigatória na maioria delas, sendo que algumas receitas a incluem na mesma porcentagem da carne. Atualmente há empanadas de diversos recheios, desde as de carne de boi, de frango ou peixe ao milho (humita), hortaliças e queijo com cebola. Uma das características que identifica uma boa empanada é a umidade do recheio.

Cervejas Artesanais: A maior concentração de cervejarias artesanais do país se encontram na região de Bolson e San Carlos de Bariloche, sendo encontradas nos diversos restaurantes e lojas de souvenir. É na Patagônia que fica a produção de lúpulo. A produção de cervejas artesanais no país está em expansão, ganhando mais adeptos e se foca em formar associações que reúnem várias cervejarias para baratear o custo de suas produções. Em El calafate é possível encontrar cervejas artesanais locais e as duas as principais cervejarias artesanais da cidade são a Chopen e a La Zorra, ambas possuem bar próprio localizados na cidade.

Vinhos da Patagônia: O clima rigorosamente frio e desértico e o baixo índice pluviométrico fazem da irrigação um método essencial para o desenvolvimento dos vinhedos. As cepas mais cultivadas ali são: as tintas cabernet sauvignon, merlot, malbec, shiraz, pinot noir, e as brancas chardonnay, torrontés, sémillon e sauvignon blanc. A zona vinícola da Patagônia tem os vinhedos mais ao sul do planeta.

Calafate: É a fruta símbolo da Patagônia. Originária de um arbusto com flores amarelas e frutos de tom azul-violeta, são produzidos desde licores a geleias e sorvetes. O doce é feito com as frutinhas descascadas e cozidas na água, o açúcar é acrescentado posteriormente, aos poucos, para deixar a calda bem consistente. Segundo uma história indígena, uma mulher chamada Calafate foi transformada no arbusto ao tentar fugir com o amado, um jovem de uma tribo inimiga e o coração de Calafate se transformou nos frutos que, ao serem provados, fazem os visitantes se apaixonarem pelo lugar e quererem sempre voltar.

Dulce de Leche: O doce de leite Argentino é feito a base de leite, açúcar tradicional, baunilha e bicarbonato de sódio. Possui cor escura, com aspecto quase queimado e um forte e intenso sabor de caramelo. Com textura cremosa ou pastosa, sem a presença de cristais perceptíveis, possui uma grande variedade, desde os mais simples até os mais sofisticados ou premiums, sendo usado em doces, como bolos, folhados, pastelarias, alfajores e sorvetes.

Medialuna: Apesar de lembrar muito o croissant francês em seu formato, o sabor e textura são bastante diferentes. Muito mais doce e com casquinha caramelizada, as medialunas são um tipo de factura, ou seja, uma massa panificada à base de manteiga, farinha, açúcar e levadura. Estão disponíveis em versões de manteca (manteiga) e as de grasa (banha). As de manteiga são maiores, mais fofinhas, enquanto as de grasa são de massa folhada e mais crocantes, podem ser recheadas, doces ou salgadas.

Alfajor: Embora este doce não seja tipicamente argentino, sua popularidade ganhou força a partir do alfajor espanhol que chegou nos primeiros navios espanhóis que se dirigiram para a América. Este doce consiste em duas bolachas feitas de farinha de trigo ou amido de milho (maisena), tradicionalmente recheado com doce de leite, mas também é encontrado recheado com outros doces e, na cidade, é possível encontrar com recheio da fruta de Calafate. Podem ser cobertos com coco, açúcar ou chocolate.
Atenção:

  • Boa parte dos restaurantes que servem massas cobram o valor da massa separado do valor do molho. Verifique o valor dos dois ingredientes no momento da escolha do prato.
  • A pizza argentina costuma ter massa mais grossa e crocante, com pouco molho.
  • Os argentinos gostam da carne sangrando, caso peça uma carne ao ponto, virá uma carne vermelha quase crua em seu interior com a borda levemente assada. Os pontos de carne são conhecidos como jugosa (mal passada), a punto (ao ponto) ou cocida (bem passada).
  • Como a maior parte dos passeios são de dia inteiro e fora da região central da cidade, é recomendado levar um kit piquenique (ou vianda, como é chamado pelos locais) para os passeios de forma a substituir o almoço. Alguns hotéis oferecem cardápios de viandas, que podem ser encomendadas na véspera do passeio e são entregues aos hóspedes pela manhã. É possível também adquirir estes kits prontos em algumas pequenas lanchonetes no centro da cidade. De forma geral, são constituídos de sanduíche, bebida fria e fruta. É recomendável comprar biscoitos, castanhas, bolos, pães e outras coisas em um supermercado ou padaria.
  • É comum nos restaurantes da Argentina a cobrança do “serviço de mesa”, também conhecido como cubierto. A cobrança dessa taxa adicional por pessoa, normalmente é informada no cardápio ou em cartazes fixados no restaurante. A origem da palavra cubierto vem do italiano coperto, que quer dizer cobertura. Na prática, isso significa que o restaurante cobra pelos pratos, talheres e guardanapos que você utiliza e que em algum momento deverão ser repostos ou substituídos. Este valor não é destinado ao garçom e sim ao estabelecimento.
  • Conhecida como propina, a gorjeta para os garçons não vem incluída na conta. Alguns restaurantes colocam essa informação junto com o detalhe da despesa. Embora a propina não seja oficial, e uma vez que não existe um percentual especificado para a gorjeta, é esperado que se deixe um valor aproximado de 10 a 15% do valor da conta para a pessoa que lhe atendeu.
  • Na argentina jantar entre 21:00 e 22:00 horas é normal e totalmente aceitável entre 22:00 e 00:00 horas.

 

Como escolher um Restaurante em El Calafate?


São mais de 50 restaurantes espalhados pela cidade, desde os localizados nas áreas centrais, assim como os mais afastados proporcionando além de uma refeição, uma experiência gastronômica. Alguns hotéis, principalmente os mais badalados, também abrem seus restaurantes para turistas que não estão hospedados, certifique-se se é necessário fazer reserva para realizar as refeições.

No centro é possível encontrar desde restaurantes sofisticados que oferecem os pratos típicos da região, como o cordeiro assado em fogo de chão, até restaurantes mais simples e descontraídos com cardápios variados a la carte, pizzas e lanches.

Casablanca Pizza-Restaurant
Casimiro Biguá - Parrilla & Asador
Restaurante La Esquina
La Lechuza Pizzas y Pastas
Restaurante La Lechuzita
La Toldería Resto Bar

 

Verifique o que quer aproveitar no momento. Faça uma lista com opções variadas. Vale a pena, pelo menos um dia, aproveitar o momento da refeição como uma vivência da viagem, porém, também considere para os dias que chegará cansado de um passeio exaustivo, a escolha de uma refeição rápida, permitindo voltar rapidamente ao hotel e descansar. Não se preocupe com os carboidratos, a região é fria e, além de precisar desta energia para manter o corpo aquecido, você precisará de uma energia extra para realizar todos os passeios que demandam caminhadas.

Restaurantes e Bares



Casimiro Biguá – Parrilla & Asador: Com ambientação sofisticada e intimista, localizado na rua principal rua de El Calafate, o Restaurante Casimiro Biguá oferece desde especialidades locais, como o ótimo cordeiro patagônico, à diversidade da comida mediterrânea.

Mais Restaurantes e Bares em breve (páginas em construção)…

 

 

 


 

 

 


Deixe seu Comentário:

Loading Disqus Comments ...

Deixe um comentário

Loading Facebook Comments ...